Diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo

Compartilhe

Segundo pesquisa realizada pela Economist Intelligence Unit (EIU), os investimentos em marketing digital irão superar o marketing tradicional até 2020 e o conteúdo digital será o equivalente a 80% do consumo mundial em entretenimento e mídia.

E com o avanço do marketing digital no país, os dois termos tem sido motivo de discussão. Afinal, são a mesma coisa ou tem diferença?

A verdade é que o conteúdo é um dos pontos fortes das campanhas de Inbound.

O importante é saber que os dois NÃO SÃO A MESMA COISA, mas, se empregados juntos, são capazes de nutrir, engajar, entregar valor, conectar, e claro, vender.

Para que você faça estratégias mais assestivas é necessário conhecer a diferença entre inbound marketing e marketing de conteúdo. Os dois termos são muito importantes para o marketing e por isso preparamos um conteúdo completo.

Pronto para conhecer as diferenças entre os dois termos? Então, continue lendo!

O que é Inbound Marketing?

Diferente do marketing convencional, o Inbound Marketing não corre atrás do cliente em busca de atenção e na tentativa de mostrar o produto a ser consumido, ele procura atrair o cliente de forma orgânica, mostrando a solução para o seu problema e explorando canais que tragam o público até você.

Em outras palavras, no Inbound Marketing é o cliente que procura a empresa e não o contrário.

No Inbound Marketing os canais de marketing são usados com inteligência para atingir seu público alvo no momento certo, sem ser invasivo, colocando seu potencial cliente no centro de tudo e mostrando que a sua empresa está pronta para ajudar.

Existem basicamente 5 etapas fundamentais no Inbound:

Atrair

Trazer visitantes para seu site através de conteúdo criado. A atração pode ser, principalmente, por busca orgânica, busca paga ou redes sociais;

Ao invés de gastar energia e dinheiro procurando pessoas que poderiam se interessar sobre seu negócio, com o Inbound Marketing você cria uma isca e espera que as pessoas certas venham até você.

Você pode atrair usando estratégias como blogs, SEO, links patrocinados, redes sociais, etc.

Converter

Quando falamos de conversão, nos referimos à ação de coletar os dados dos usuários para poder iniciar um relacionamento com eles, transformando-os em Leads.

A conversão pode ser feita através de ofertas gratuitas, landing pages e CRO.

Relacionar

É a chave para conduzir os Leads através do funil de vendas até o momento da compra. Use as mídias sociais, trabalhe suas listas de e-mails e prepare para a venda usando nutrição de Leads.

Vender

Após um relacionamento prévio com os Leads mais qualificados, o momento da compra torna-se muito mais fácil e gera mais resultados. Alinhe equipes de Marketing e Vendas e qualifique seus Leads para vender seu produto às pessoas certas.

Em alguns casos, o processo de vendas acontece dentro do próprio website e em outros é necessário o contato entre um vendedor e o potencial cliente.

Analisar

Para manter a máquina funcionando e desenvolvendo, examine cada etapa e identifique o que precisa de ajustes.

Um dos principais diferenciais do Marketing Digital é poder avaliar precisamente seus resultados e comprovar o retorno dos seus investimentos com base em fatos.

Uma agência poderá contribuir na coleta e leitura de dados, monitorando cada ação que ocorre nas interações do seu público com seus sites, posts e campanhas, e, com isso, focar em estratégias mais assertivas.

 

Veja também:

Marketing Digital: 3 Benefícios em contratar uma Agência

 

Investindo em Inbound Marketing, todo seu esforço de marketing passará a ser em atrair, converter, relacionar, vender e analisar, ou seja, tudo irá convergir para objetivos em comum, gerar leads e alavancar as vendas.

Num contexto geral, é preciso que conteúdo relevante e de qualidade seja criado, publicado e compartilhado.

É nesse momento que o marketing de conteúdo entra em cena.

 Marketing de Conteúdo

Na verdade, o marketing de conteúdo é uma ferramenta do inbound marketing. Ou seja, o marketing de conteúdo faz parte de uma estratégia do marketing de atração, mas nem toda estratégia do tipo contempla o marketing de conteúdo.

A essência está em produzir algo útil e informativo, que agregue valor aos usuários. Basicamente, o conteúdo deve ser postado no blog, compartilhado nas redes sociais, divulgação de e-books, etc.

Contextualizando historicamente.

Em 1895, a John Deere, empresa líder no segmento de máquinas agrícolas, publicou a primeira edição da revista “The Furrow”, que tinha como foco compartilhar conteúdo com o público interessado em agricultura, ao invés de simplesmente criar anúncios “empurrando” os produtos que são fabricados pela empresa.

Nem todos os leitores da revista possuíam tratores, mas ao consumir a informação da marca, poderiam descobrir dores que julgavam ser inexistentes até então. E ao sentir a necessidade de fazer uma compra, optariam por uma marca de confiança, a John Deere.

Esse é um dos primeiros registros de Marketing de Conteúdo, e desde então, várias marcas têm feito o uso disso.

O case mais famoso

O ano é 1900. A marca francesa Michelin, comandada pelos irmãos Andre e Edouard Michelin, decide fabricar pneus para carros.

Mas como gerar demanda para um produto tão novo e com apenas 3 mil carros rodando em toda França?

O Guia Michelin foi lançado com o objetivo de oferecer informações sobre hotéis e restaurantes e servia como um guia de exploração para os viajantes — que, ao fazer isso, usariam bastante seus carros e gastariam mais com pneus (o principal produto da empresa), aumentando as vendas e gerando lucro.

A 1ª edição do guia teve 35 mil cópias e foi distribuída de graça. O guia continua a ser publicado em diversos países, firme e forte como a maior referência de recomendação de hotéis e restaurantes de 1ª qualidade do mundo.

Se ficou interessado, você pode conferir um infográfico sobre a história do Marketing de Conteúdo ao longo dos anos aqui:

[Infográfico] A História do Marketing de Conteúdo

Aqui na Close Brasil Digital, nossa estratégia de Marketing de Conteúdo consiste em publicar posts em blog (como esse e também nos blogs dos nossos clientes), materiais ricos como e-books e conteúdos relevantes em redes sociais.

Usar o conteúdo para atrair novos clientes é uma excelente ação, porém, devem ser de qualidade e, obviamente, de interesse do seu público.

Os dois andam de mãos dadas

O objetivo do Inbound Marketing é atrair as pessoas para uma oferta, trocar essa oferta por seus dados e educá-las até que se tornem clientes.

No entanto, esse processo de Inbound entra diretamente em contato com o Marketing de Conteúdo, pois não há como gerar Leads sem bons conteúdos.

Podemos resumir o Marketing de Conteúdo em uma estratégia para atrair e se relacionar com o consumidor e o Inbound Marketing como uma estratégia de conversão e vendas.

Numa estratégia de Inbound, o propósito do conteúdo deve estar bem definido. Pense sempre nos seguintes critérios: ele deve ser útil, de qualidade, relevante e resolver os problemas e as necessidades do público-alvo.

 


E você, utiliza as duas estratégias nas suas ações de Marketing Digital? Conta pra gente nos comentários!

investir em inbound marketing
7 Motivos para investir em Inbound Marketing
como reduzir o cac
Como Diminuir o CAC do seu Negócio?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu