O que é Marketing Local?

Você sabe o que é marketing local e como ele pode ajudar a melhorar os resultados do seu negócio? Se já ouviu falar, mas ainda tem dúvidas sobre isso, está no lugar certo!

De forma simplificada, podemos dizer que o marketing local é trabalhar a promoção do seu negócio a partir de estratégias focadas na segmentação geográfica, dentro da sua área de atuação.

É claro que qualquer ação de comunicação precisa levar em conta as informações sobre a localização do público, porém, neste caso, o objetivo é priorizar as iniciativas que ajudem a atrair pessoas que residam ou trabalhem nas proximidades do seu negócio.

A lógica é bem simples: concentrar as estratégias em um público específico, de forma a tornar a abordagem mais focada e com potencial de trazer mais resultados.

Por que essas estratégias são adequadas para os pequenos negócios?

É claro que as grandes empresas também podem utilizar esse tipo de estratégia, porém, no caso dos negócios de menor porte, a ideia é fazer com que a proximidade seja exibida como um diferencial.

Nos grandes centros, por exemplo, sabemos que o deslocamento é um problema, por causa do tempo que se gasta nos trajetos. Sem falar no estacionamento, comodidade esta que nem toda empresa tem condições de oferecer aos clientes.

Outro aspecto que deve ser considerado, é o fato de as pessoas ainda preferirem, muitas vezes, dar preferência para o comércio da sua região, principalmente em cidades menores.

O desafio aqui é como trabalhar estratégias de promoção e de atração deste público. Veja abaixo quais iniciativas devem ser adotadas.

Afinal, o que dá certo no marketing local?

1. Saber segmentar seu público.

O primeiro passo para adotar o marketing local é definir o público-alvo que será impactado pela sua estratégia.

Às vezes, por pressa ou mesmo pela falta de experiência, na área de marketing os empresários tendem a cometer o erro de acreditar que o melhor é falar com o maior número possível de pessoas. Infelizmente isso não é o mais indicado.

Ao fazer isso, a empresa acaba desperdiçando muitos recursos, uma vez que pode atingir um volume alto de pessoas que não têm interesse no seu serviço ou produto.

Para não errar o “alvo”, é preciso reunir o máximo de informações sobre o perfil do público, ou seja, além da localização geográfica, temos que ter também dados que nos ajudem a compreender melhor o comportamento do público e seus hábitos de consumo.

Vale lembrar que, neste caso, é importante recorrer às técnicas do Marketing Digital. Esta área oferece inúmeras possibilidades para direcionarmos melhor as estratégias.

Vamos abordar nos próximos tópicos como os canais digitais podem ser empregados no marketing local, mas, por ora, anote essa dica: você pode usar as plataformas digitais para coletar informações sobre o público e entender melhor as suas demandas.

Com os dados em mãos, procure dividir os seus consumidores em grupos, classificando as pessoas de acordo com as suas principais características. Esta é a base da segmentação.

2. Priorizar os clientes mais importantes

Fique atento, qualquer um pode comprar o seu produto, mas todo negócio tem um público prioritário, que apresenta condições mais propícias para receber a sua oferta.

Uma boa forma de definir prioridades é pensar na seguinte situação: se você tivesse como reunir algumas pessoas num espaço físico para fazer uma apresentação do seu produto, quem você convidaria?

Num primeiro momento, você poderia pensar em chamar um grande número de conhecidos, até para que a reunião fosse um sucesso. Porém, diante da limitação física do espaço, teria que ser mais seletivo na sua lista, correto?

Se o objetivo é o marketing local, a questão da localização geográfica será priorizada na hora da seleção dos “clientes vips”, mas também é importante considerar os demais critérios, como o interesse da pessoa por aquele tipo de produto ou serviço e mesmo os outros dados demográficos como, gênero, idade e classe social.

Os critérios vão depender do produto e da estratégia do seu negócio, mas tenha em mente que o objetivo é ter uma ação mais bem direcionada, focada num segmento específico.

No caso de produtos de baixo valor unitário, por exemplo, atuar com uma estratégia de marketing local pode ser vantajoso, uma vez que a locomoção até o local da sua loja valerá mais a pena para um público próximo.

Também sabemos que, nesta situação, a própria venda pela internet precisa ser analisada com atenção. Afinal, o valor do frete pode ser um complicador, ou seja, não faz muito sentido trabalhar a comunicação para um público muito extenso, fora da sua região de atuação.

A boa notícia é que hoje as empresas dispõem de excelentes plataformas para trabalhar de forma mais segmentada, como mostraremos a seguir.

3. Usar as ferramentas do marketing digital

Os avanços tecnológicos na área digital têm facilitado bastante o dia a dia das empresas que querem ter uma atuação mais segmentada.

Nunca tivemos tantas oportunidades para entender melhor o comportamento do nosso cliente. O uso das ferramentas de web analytics, por exemplo, ajuda a compreender os hábitos de navegação do público nos sites e nas redes sociais.

Além disso, por meio dos perfis criados nas redes sociais, há como aproximar-se do cliente, fazer perguntas, conectar-se diretamente com ele.

Pensando ainda nas ferramentas, é importante citar também o próprio e-mail marketing que, quando bem utilizado, serve para a oferta de mensagens específicas e como um canal de relacionamento com o público.

4. Analisar as ferramentas de geomarketing

O sucesso do marketing local depende bastante da inteligência por trás do processo, ou seja, não basta acessar dados relacionados à localização geográfica dos clientes, é importante analisar como usar adequadamente essas informações para chegar numa segmentação mais refinada e, a partir daí, planejar as ações.

Reside nesse aspecto a relevância do geomarketing, que ajuda as empresas a melhorar a interação com o seu público no melhor momento possível, usando as informações sobre a sua localização.

Uma das vantagens é que não estamos falando apenas de ter acesso à localização atual do cliente, e sim, de entender por  onde ela passou e quanto tempo permaneceu em cada lugar.

O mais importante, para além do uso das ferramentas (existem algumas bem sofisticadas no mercado), é ter uma estratégia e usar as informações para oferecer uma experiência diferenciada para o cliente.

5. Explorar as oportunidades das plataformas digitais

Uma estratégia de marketing local pode ser feita por meio de canais convencionais, a partir da distribuição de flyers na região, da veiculação de anúncios nos veículos locais ou até mesmo apoio aos eventos realizados nas proximidades do seu negócio.

Porém, não faz sentido deixar de aproveitar as possibilidades existentes nas plataformas digitais. No Google, por exemplo, os pequenos negócios têm diversas formas de trabalhar melhor a questão da segmentação.

Ao usar os links patrocinados, é possível determinar a região de exibição dos anúncios e você também pode reforçar essa estratégia criando campanhas específicas para atrair quem está nas proximidades do seu negócio.

Hoje também é possível adotar esse tipo de estratégia nas redes sociais, como o Facebook, que tem oferecido boas opções para quem precisa ter uma comunicação mais segmentada.

Logo na configuração da fanpage, é possível indicar que se trata de um negócio local, o que vai facilitar a localização do seu negócio nas buscas feitas na rede social.

Fique atento, para reforçar sua estratégia, lembre-se de que deve usar esse canal para divulgar conteúdos que valorizem a sua região de atuação, ajudem o público a fazer a associação do seu nome com o bairro.

6. Aproveitar a audiência dos buscadores locais

Até pela relevância dos serviços de busca — eles são a porta de entrada das pessoas na internet —, hoje é praticamente impossível ter uma estratégia de divulgação que não envolva o Google (no caso do Brasil, vale lembrar que ele lidera com folga entre os concorrentes).

Para conseguir mais visibilidade para a sua marca e, assim, ter mais chances de ranquear bem na busca orgânica, uma das saídas é investir nos buscadores locais.

Eles geralmente têm uma boa audiência, uma vez que reúnem informações de diversas empresas e funcionam para o marketing local, porque atraem pessoas que estão em busca de produtos e serviços específicos.

Outra vantagem: quem anuncia nos guias locais geralmente tem direito a uma página própria para fazer a apresentação do seu negócio e os anúncios serão exibidos apenas para quem digitou os termos da busca.

Agora que você entendeu melhor como funciona o marketing local, que tal conhecer outras iniciativas que podem ajudar a aumentar os resultados do seu negócio?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu